VAQUEJADAS REGIONAIS MOSTRAM RESISTÊNCIA E TRADIÇÃO

As vaquejadas regionais vêm ganhando força no Rio Grande do Norte.

São populares, reúnem vaqueiros da região e não espantam no preço, como as corridas organizadas por alguns circuitos.

A semelhança com as antigas vaquejadas atraem vaqueiros em início de carreira que ainda não entraram na mídia como ganhadores de prêmios, mas já se destacam nos bolões e festas entre amigos.

A cidade de João Câmara é um exemplo vivo dessa nova onda.

O Parque Asa Branca foi grande logo na primeira festa e já entrou no rol das vaquejadas de sucesso. É só conferir a quantidade de duplas inscritas para correr de 9 a 13 de desse mês.

A pandemia empurrou pra primeira semana de outubro a mais tradicional festa da região potengi e uma das maiores do estado: A vaquejada de São Paulo do Potengi, organizada por Márcio Brito.

Além de vaqueiros da região a corrida atrai duplas de outros estados e ainda faz um espetáculo a parte, colocando na pista velhos vaqueiros de todo nordeste conhecidos como ETERNOS CAMPEÕES DE VAQUEJADA.

Não deixam de fazer sucesso também as vaquejadas de Passa e Fica, Santana do Matos, Pedro Avelino e do Parque Arapuá, em Santo Antônio do Salto da Onça, organizada por Ivo Érico, famoso pelas extraordinárias corridas que reúnem vaqueiros de várias regiões do país.